Primeiro médico que atuou no Hospital Regional São Paulo visita a entidade

0
631
Portal Garagem – Em breve

Xanxerê- Nesta quarta-feira (10) o Hospital Regional São Paulo – ASSEC, de Xanxerê, recebeu uma visita ilustre: o primeiro médico que atuou na entidade, Javier Guillermo Maldonado Imana, esteve na instituição. No hospital o médico, que está de passagem pela cidade, visitou a direção administrativa, conheceu as novas alas, conversou com profissionais e reencontrou colegas de trabalho.

A visita foi acompanhada pelo diretor técnico do HRSP, Mário Marques. Javier atuou no hospital entre 1974 – ano de inauguração – e 1984. O médico obstetra, que é natural da Bolívia, relembra que em Xanxerê desenvolveu o primeiro trabalho dele após a formação médica em Curitiba. Da cidade, e do Hospital Regional São Paulo, ele guarda boas histórias e recordações.

 

Dificuldades dos primeiros anos

Javier começou a trabalhar no HRSP antes mesmo da inauguração oficial da entidade, em 19 de julho de 1974. Ele descreve os primeiros anos como difíceis e com pouca estrutura. “Era muito difícil, em especial pelo fato de que existiam poucos médicos no interior. Não havia anestesista, cirurgião, ortopedista, por exemplo. Fiquei cerca de cinco meses trabalhando sozinho, até que chegaram mais colegas. Eu desempenhei todas as funções nos primeiros meses”, conta.

O obstetra comenta ainda que o primeiro aparelho de Raio X do hospital foi fruto de uma doação da Alemanha, que ele mesmo intermediou.  A estrutura da entidade no início era modesta, mas a solidariedade era imensa. “A estrutura era precária, mas as Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Auxiliadora (que administravam o hospital) eram bondosas. Não se deixava de atender ninguém. O que me marcou foi essa disposição de atender, o paciente tendo ou não condições de pagar pelas despesas”, relembra.

Foi Javier quem fez também a primeira cirurgia do Hospital Regional São Paulo, na mesma semana em que a instituição abriu as portas. E mesmo com todas as dificuldades de um atendimento de emergência quase sem condições, a vítima foi salva.

 

O Hospital hoje

Durante a visita Javier conheceu as ampliações que foram feitas após a sua saída do Hospital Regional São Paulo, como a criação da maternidade, UTI Neonatal e Adulto, a Ala Santa Bernarda – destinada aos convênios – e Bloco I, onde estão instaladas a Clínica Médica, Retaguarda, Pediatria e Cardiologia. “A diferença é do dia para a noite. E eu fico orgulhoso por ter passado por aqui e ver o que hoje é: um hospital referência, um hospital grande. Na época a gente não imaginava que cresceria tanto, mas tinha certeza que havia um trabalho sério das Irmãs para melhorar o que havia. Fico feliz por ter dado a minha contribuição”, reforça Javier.

O médico está em passagem por Xanxerê, onde visita parentes. Atualmente ele mora em Brasília (DF), onde também já atuou em hospitais públicos e comenta que o atendimento prestado em Xanxerê é um diferencial. “Em Brasília, onde eu atuei muito tempo na rede pública, não vi nenhum hospital com a qualidade que vi aqui hoje. Com certeza eu posso dizer que a população de Xanxerê e região tem que se orgulhar da qualidade de atendimento do Hospital Regional São Paulo, das instalações de primeiro mundo. Ontem fui atendido aqui, por coincidência tive uma cólica renal, e vim ocupar os serviços do hospital que eu orgulhosamente ajudei a inaugurar. Me faltam palavras para descrever como me sinto, fico emocionado”, finaliza.