Vamos falar de empatia?

0
145
Portal Garagem – Em breve

Xanxerê – Quando você escuta o outro, e mesmo sem saber maiores informações, você o acolhe, você pesquisa, você faz com que essa pessoa se sinta parte de você. Isso serve para família, círculo de amigos ou mesmo para desconhecidos.

O carinho, a maneira como você lida com as situações, faz compreender o que acontece com as pessoas a sua volta e isso reflete na própria personalidade. Sabe quando você conversa com um amigo ou mesmo com aquela pessoa que você nunca viu e você se sente incrivelmente bem, como se já tivesse conversado com ela, sem querer sair daquela conversa? Provavelmente você encontrou uma pessoa com empatia e altruísmo, quando uma pessoa deixa o egoísmo de lado para ouvir e acolher.

Com a nossa história de restrição alimentar, passamos por muitos preconceitos, mas disso eu nem lembro mais, e costumo fazer como uma amiga psicóloga diz: “se faz de sapo surdo”. Vale mais a pena, porque o preconceito normalmente não te agrega muitas coisas. Mas ao mesmo tempo, já tiveram tantas pessoas que nos acolheram, que conversam e que buscam ser sempre melhores. O coração fica muito feliz!

Somos nós mesmos que escrevemos a nossa história, com nossas formas, jeitos, sonhos, ações e sentimentos. Eu ainda acredito que, melhor do que conseguir grandes feitos, é o que a gente cativa nesse caminho. Durante esses três anos de cozinha eu já compartilhei muitas experiências, que são as que ficam! Aprendi a acolher mais do que julgar, porque nunca sabemos o que o outro está passando, mesmo que tudo aquilo, à primeira vista, pareça frescura!

Nesse mundo de pressa, da velocidade marcada em 100, eu prefiro ser a calmaria que os pães me ensinaram. Eu prefiro entender através de uma boa conversa. Com um cafezinho e um bolo, então, fica melhor ainda. Eu sou exatamente como os jornalistas são conhecidos: gostam de uma boa prosa. Ah, e de histórias inclusive!

Quantas histórias conheço, de clientes que recém descobriram uma restrição alimentar e ainda estão na fase de que nunca mais conseguirão encontrar um bom alimento, ou daqueles amigos que procuram uma maneira de nos receber em casa, ou ainda daquela pessoa que busca uma boa conversa, seja ela sobre aceitação, alimentação ou mesmo sobre a vida.

Ah, quero muito mais empatia por esse mundo!

Compartilhar
Notícia anteriorKNN Idiomas abre suas portas em Xanxerê
Próxima noticiaMarema conhecerá os campeões de bocha da terceira idade
Larissa Damian
Larissa é jornalista. Atuou em diversas empresas da área de comunicação até 2014, quando decidiu dedicar-se aos filhos Arthur e Benício, gêmeos, intolerantes ao glúten, à lactose e alérgicos a proteína do leite de vaca. Na busca pela melhor alimentação para os filhos criou a LaEmília Cozinha Funcional, especializada em alimentos próprios para quem tem essa restrição alimentar.