Portal Garagem – Em breve

Xanxerê- O cenário até pode ser de estagnação econômica, mas os reflexos não estão sendo sentidos no setor de locação de imóveis. Diariamente, a procura é muito maior por imóveis disponíveis para alugar do que por um novo investimento ou aquisição da casa própria, por exemplo.

Desde o início deste ano, a busca por este setor tem mantido ativo o trabalho nas imobiliárias de uma forma geral, onde a procura é muito maior que a oferta. De acordo com o corretor de imóveis da Habitaxan Imobiliária de Xanxerê, Jorge dos Santos, de dez clientes que entram em sua empresa, oito estão à procura de aluguel. Segundo ele, a busca por casas continua disparada, mas sentiu uma grande demanda por barracões e salas comercias.

Nos últimos meses, com o aumento de categorias que se enquadram como empreendedores individuais e a abertura de microempresas, a busca por imóveis comerciais tem sido significativa, variando de salas comerciais de 50 metros quadrados à barracões de mais de 150 metros quadrados, bens estes que em anos anteriores não tinham muita saída. Hoje, para se ter uma ideia, a média de aluguel de um imóvel comercial bem localizado não baixa da faixa de R$ 3 a R$ 5 mil. “Temos disponível salas de até 100 metros quadrados na faixa de R$ 3.000,00. Com metragem maior o preço sobe, passando dos R$ 10 mil e ainda assim com procura. Já os barracões ficam na faixa dos R$ 2.500,00 a R$ 12 mil. Isso é bom porque acaba aquecendo os empresários para que invistam em imóveis comerciais, pois a renda é garantida, com baixíssima manutenção”, disse.

Quanto ao valor dos imóveis, conforme o corretor, estão dentro da média dos anos anteriores, sempre com a possibilidade de negociação na hora de fechar a locação. “Hoje o que não se pode é deixar o imóvel vazio por muito tempo. A ociosidade do mesmo não valoriza o imóvel nem a região onde ele está. O proprietário precisa lembrar que pode até perder um pouco do que imaginava ganhar baixando o valor, mas futuramente conseguirá recuperar essa perda, pois deixará de arcar com as despesas que mesmo vazio o imóvel traz”, disse o profissional. (Ass.Com./Joimara S.Camilotti)