Em segunda votação, Leite e Pão é retirado de 3 mil alunos

0
3062
Cadastro Foca na Notícia

Xanxerê– A segunda votação do Projeto de Lei AM 15/2017, que reformula o Leite e Pão Amigo, esquentou o debate na Câmara de Vereadores na noite de ontem (19). O programa que estava ligado a Secretaria de Educação e atendia cerca de quatro mil crianças da Rede Municipal de Ensino, com a aprovação do projeto será vinculado a Secretaria de Assistência Social atendendo a 300 crianças, podendo chegar a 900. Uma redução em torno de três mil alunos atendidos. O projeto foi aprovado pelos vereadores Adriano De Martini (PT), Arnaldo Lovatel (PP), Lenoir Tiecher (PT), Luiz Augusto Ceni (PSD) e Ricardo Lira (PSD), aliados da administração municipal.

Os vereadores de oposição, João Paulo Menegatti (PTB), Nathan Moreira (DEM), Vilson Piccoli (PMDB) e Wilson Martins (PSDB) confirmaram o voto contra a redução no programa. Para o vereador Wilson Martins dos Santos foi uma clara supressão de direito da população. “Estão privilegiando a contratação de comissionados, que só nos últimos dias foram muitos, ao invés de manter o investimento em um programa que atendia cerca de quatro mil crianças do município. Não vou carregar este peso de votar a favor de um projeto que está suprimindo o direto da nossa gente”, declarou.

O vereador João Paulo Menegatti também se manifestou contrário ao projeto. “Reduzir um programa para 25% do que ele atendia é inadmissível e não podemos concordar com isso. Se o programa precisa de reformulação que se faça, mas que mantenha os recursos e na pasta da educação, que tem recursos para mantê-lo. Estão acabando com o maior programa que Xanxerê já teve”, considerou Tatu.

Vilson Piccoli, outro vereador que votou contra o projeto, criticou a redução no programa, “esta redução no programa é muito drástica. Não podemos conceber que um programa que vinha beneficiando tantas famílias seja reduzido desta maneira. Se o programa precisa de reformulação que se faça, mas que não se reduzam recursos e nem o número de pessoas beneficiadas”. (Ass.Com./ Dado de Oliveira)