Presidente da Sulcredi comenta crescimento das cooperativas em SC

0
2415
Portal Garagem – Em breve

A Organização das Cooperativas de Santa Catarina-Ocesc realizou, no mês de abril deste ano, um balanço do setor cooperativo no Estado com a seguinte conclusão: apesar da queda do PIB e da grave crise econômica brasileira, o setor apresentou crescimento em Santa Catarina.

Os números apresentados foram extremamente satisfatórios, pois todos os ramos fecharam em alta, com um faturamento de R$ 31,5 bilhões, o que representa um crescimento de 15% em comparação ao ano anterior. As sobras, que são o lucro das cooperativas, atingiram o patamar de R$ 1,241 bilhão, 2% a mais que 2015.

O balanço registra ainda que o cooperativismo agropecuário apresentou uma receita superior a R$ 19 bilhões. Em segundo lugar neste ranking estão as cooperativas de crédito, que atingiram R$ 5 bilhões de receitas, com aproximadamente 1.4 milhões de cooperados no Estado.

Outra notícia boa para o setor foi o relatório do Bacen-IF.data, divulgado pelo Estadão, que apontou o cooperativismo de crédito como o 6ª maior banco do Brasil em 2016, a frente de bancos importantes como o HSBC, Safra, Citibank e o Banrisul.

Para entender um pouco melhor os motivos deste crescimento, o Foca na Notícia foi conversar com Denilson Luiz Rodighero, presidente da Cooperativa de Crédito Rural de Abelardo Luz-Sulcredi/Crediluz, uma das mais importantes cooperativas de crédito do Oeste Catarinense, que tem apresentado crescimento constante no cenário estadual, com 11 unidades na região e que este ano pretende abrir mais duas unidades: uma em São Domingos e outra em Xavantina.

Foca na Notícia – A que você atribui o crescimento do cooperativismo em Santa Catarina?

Denilson – A previsão de que o cooperativismo seria a moeda do terceiro milênio, hoje, se confirma. O que foi decisivo nesse trabalho foi a criação de normas, segurança e fiscalização. No passado, tivemos momentos muito difíceis no cooperativismo e a regulamentação de novas regras fez com que o cooperativismo passasse mais confiança para o cooperado no que diz respeito à estabilidade. Outro ponto que transmite essa confiança é a assistência técnica e a informação. Geralmente as cooperativas realizam um trabalho com seu cooperado, lá na ponta, com informação, assistência técnica e orientação, questão essa que é muito deficitária no setor nacional, e o cooperativismo consegue proporcionar isso ao seu associado, em diferentes seguimentos. A assistência técnica e a informação de tecnologia e pesquisa são os diferenciais que justificam esse crescimento. Outra ação significativa das cooperativas, no sentido de regular preços, e pensando mais no cooperado, é o afastamento do atravessador, oferecendo produtos e serviços com preços que buscam o fortalecimento do cooperado.

Foca na Notícia – O Cooperativismo de Crédito figura em segundo lugar no ranking da Ocesc. O que justifica o crescimento e a consolidação das cooperativas de crédito?

Denilson – Eu posso assegurar três características que são fundamentais: primeiro o atendimento, um relacionamento mais pessoal, mais próximo das pessoas. A proximidade e o atendimento personalizado são grandes diferenciais e as cooperativas têm isso; o segundo fator que tem valorizado o crescimento das cooperativas de crédito são as informações sobre crédito, sistema financeiro, produtos e serviços, políticas locais e política públicas do governo, passando informações mais precisas, mostrando para o seu cooperado o melhor produto e serviço ou o melhor investimento que se possa fazer; e em terceiro, são os custos no sistema financeiro, que hoje são muito pesados para os usuários. A cooperativa consegue proporcionar custos menores para o cooperado, seja ele pessoa física ou jurídica. Tudo isso aliado ao crescimento do sistema de cooperativas de crédito que gera mais confiança e a fidelização dos cooperados.

Foca na Notícia – A Sulcredi completou este ano 21 anos de atuação, com 11 agências e, em 2017, chegará a 13ª agência. Ao que você atribui o crescimento da Sulcredi e qual o diferencial desta Cooperativa?

Denilson – Primeiro o crescimento de todo o setor, mas o grande diferencial é a visão, a forma como a Sulcredi faz o cooperativismo. O eixo principal é pensar no cooperado e na sua família. Essa é a essência do cooperativismo, nós trabalhamos voltados para as pessoas. Nossos produtos e serviços são focados para os cooperados, para as suas famílias. Além dos produtos da linha de crédito e financeiro, investimos no social, temos duas sedes sociais para atender nossos cooperados, um programa de habitação e o nosso Programa de Saúde. Então, esse me parece ser o grande diferencial. Também investimos nos municípios, gerando emprego e renda. Quando oferecemos produtos diferenciados, completos, que atendem a necessidade da comunidade, isso ajuda no desenvolvimento do município onde a Sulcredi está inserida.