Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Prefeito insiste em não negociar com a Direção do Sindicato, o que estende os dias de greve

Xaxim- Os servidores grevistas de Xaxim devem prosseguir nesta segunda-feira (26) com a paralisação iniciada na última quinta-feira (22), com mobilização em frente à Prefeitura, a partir das 8 horas.

A decisão foi tomada na sexta-feira (23), em Assembleia Geral da categoria, após um dia tenso no Centro Administrativo. Ainda no período da manhã, sob aplausos, a comissão de greve dos servidores subiu as escadarias da Prefeitura para tentar, mais uma vez, no segundo dia de greve, uma negociação com o prefeito Lírio Dagort (PSD). Dessa vez, além da comissão de greve, todos os grevistas subiram até a porta do gabinete do prefeito para tentar negociar com o mesmo, que desde o início da greve, afirmou que não vai negociar com o Sindicato. Ali os servidores permaneceram até o início da tarde.

A presidente do SITESPM-CHR Vania Barcellos, solicitou à secretária do gabinete do prefeito a reunião para negociar a situação da greve. Em poucos minutos ela retornou e solicitou que os servidores aguardassem, pois o prefeito estava em reunião.

O prefeito não recebeu a comissão de greve e chamou a Polícia Militar para que orientasse os servidores a saírem da prefeitura. Os servidores se recusaram e, ao meio-dia, sob escolta da polícia, o prefeito Lírio deixou a Prefeitura.

Reivindicações

Os servidores permanecem em greve porque o prefeito ainda não pagou a reposição da defasagem aos servidores, que tem data-base maio/16 no percentual de 3,47%, em atraso desde novembro de 2016, conforme Lei Municipal nº 169/2016. Reajuste aos professores também com data-base maio/16 no percentual de 4,47%, em atraso desde novembro.

Além da reposição dos servidores (3,99%) e reajuste dos professores (7,64%) com data-base maio/17, a categoria também reivindica o cumprimento da Lei que concede aumento ao vencimento da equipe de enfermagem, jornada de trabalho dos Agentes de Saúde, 2% de acréscimo na Regência de Classe dos professores, 2% de Progressão aos professores e 1% de Progressão por Mérito a todos os servidores.

O que também está deixando a categoria indignada é o fato do prefeito insistir em não negociar com a Direção do Sindicato.