Alimentos com higiene e qualidade são prioridade na Efapi 2017

0
551
Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Chapecó- Rigor total com a higiene e tolerância zero com infratores. Essa é a orientação  da Comissão Central Organizadora (CCO) da Exposição-feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó (Efapi 50 Anos) para as Comissões Setoriais de Saúde e de Gastronomia.

A prioridade do presidente Josias Antônio Mascarello, do vice-presidente Élio Francisco Cella e do coordenador geral Marcio Ernani Sander é a qualidade da alimentação que será disponibilizada aos visitantes e todas as pessoas que trabalharão na exposição-feira.

A reunião, no Gabinete da Prefeitura, teve a participação do assessor geral de coordenação Luiz Roberto Tillmann e dos coordenadores da Comissão de Gastronomia (Ivonei Barbiero) e de Saúde (Nédio Conci), além da secretária Ulmara Melania Spanhol.

Para atender milhares de visitantes durante os dez dias de exposição-feira-festa (período de 6 a 15 de outubro) mais de 600 pessoas trabalharão em 36 pontos de venda para preparar 50 opções de comida. A previsão é de que serão  fornecidos mais de 1,5 milhão de lanches e refeições aos visitantes.

Entre os 36 pontos de vendas autorizados estão um restaurante, 15 lanchonetes e 20  pontos fixos (sorvetes, crepes, cachorro-quente, churros, espetinhos, assaí etc) distribuídos pelo parque de exposições. A Praça de Alimentação, com 1.200 metros quadrados de área coberta, abrigará seis boxes de lanchonetes com capacidade para atender 2.000 pessoas.

Os prestadores de serviço foram selecionados através de edital público e 98% deles já atuaram em feiras anteriores. Todos devem portar carteira de saúde com validade no período da Efapi. Todos, também, devem ter concluído o curso de boas práticas em manipulação de alimentos, oferecido gratuitamente através de convênio que a Prefeitura de Chapecó firmou com o Centro de Tecnologia de Alimentos do Senai. O curso tem quatro horas de duração e a abordagem será, basicamente, em manipulação, conservação e higiene.

A comissão enfatizou que todas as normas do regulamento geral da gastronomia, cuja cópia foi entregue a cada fornecedor no momento da assinatura do contrato, serão exigidas, entre elas: cabelos limpos e protegidos com gorro, uniformes higienizados, guarda-pó de cor clara e sapatos fechados, unhas curtas, limpas e sem pintura, não-uso de adereços (pulseiras, anéis, relógios, brincos etc), não-fumantes, destinação correta do lixo e não-manipulação de dinheiro e comida pela mesma pessoa. Todos os manipuladores devem conhecer o manual de boas práticas e o procedimento operacional padrão.

“Seremos absolutamente rigorosos para proteger a saúde dos visitantes, pois nunca tivemos um único caso de intoxicação”, resumiu o coordenador da Comissão de Alimentação, Ivonei Barbiero. Sublinhou que será expressamente proibida a venda de qualquer tipo de alimentação por ambulantes.