Cadastro Foca na Notícia

Incentivados pelo Programa Propriedade Sustentável, agricultores catarinenses aprenderam a usar a contabilidade para perpetuar o negócio rural. Em 10 anos, os produtores que aderiram ao Programa ampliaram em 27% a renda do agronegócio familiar. Nesta terça-feira, 29, uma reunião em São Miguel do Oeste discutirá os resultados desta ação na região. O encontro acontecerá às 8h na sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

Os 24 agricultores catarinenses acompanhados pelo Programa acabaram aumentando a área plantada, passando de uma média de 11,5 hectares para 13,3 hectares. As principais atividades que contribuíram para isso foram cebola, pastagem nativa e soja. Com uma área maior, os agricultores passaram também a diversificar a produção, o que pode ter contribuído muito para o aumento na renda.

Mas o grande segredo do Programa Propriedade Sustentável está na percepção de propriedade rural como empresa. O secretário adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, explica que o produtor rural deve ter uma atitude empreendedora com aplicação criteriosa dos fundamentos de gestão, que envolvem o planejamento, direção, controle e avaliação de cada atividade.

“Em uma economia de mercado, o lucro está no detalhe e ganha mais dinheiro quem acerta mais e erra menos nas escolhas que faz em relação aos negócios da propriedade. Não é sorte ou azar que definem o sucesso na agropecuária de hoje, mas a competência e o profissionalismo com que o negócio é administrado”, destaca.

E é justamente para ajudar o produtor rural a fazer boas escolhas que nasceu o Programa Propriedade Sustentável. Com o acompanhamento dos técnicos da Epagri, os agricultores aprendem a planejar os negócios, medir e comparar os resultados alcançados, traçar metas e estratégias de sucesso.

A ideia é de que uma propriedade rural próspera garante a sucessão. “Com o advento da informática e o acesso as redes de informação, essa tarefa é mais fácil e certamente vai estimular os jovens a optarem pelo campo e suceder seus pais na gestão de suas propriedades. Dando continuidade a esse modelo de agricultura familiar tão importante para economia de Santa Catarina”, ressalta Spies.

Programa Propriedade Sustentável

Executado numa parceria entre Secretaria da Agricultura e da Pesca, Epagri, entidades representativas dos agricultores e setor privado, o Programa funciona como um laboratório a campo e permite a realização de pesquisas especialmente na área de gestão. Atualmente são 240 agronegócios familiares acompanhados no Sul do Brasil.