Reforma Trabalhista é discutida na sessão da Câmara de Vereadores

0
581
Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Xanxerê- Na sessão da Câmara de Vereadores de Xanxerê desta segunda-feira (06), a representante do Coletivo Sindical Cutista de Xanxerê, Andreia Koloscke, usou a tribuna para falar sobre a Reforma Trabalhista aprovada pelo Congresso.

Andreia explanou sobre o que representa para o trabalhador, na visão do Coletivo Sindical Cutista, as mudanças que começarão a valer a partir do próximo dia 11 de novembro. Segundo Andreia, o governo alega que a reforma visa modernizar a CLT criada na década de 40, mas para ela, os objetivos não são esses, nem criar novos empregos ou facilitar a negociação entre empregado e empregador, mas sim a proposição de evitar que os trabalhadores façam valer os seus direitos.

Sobre a reforma trabalhista, o vereador Wilson Martins dos Santos, que é advogado e atua em causas previdenciárias e trabalhistas, considera que as adequações e discussões sobre o assunto ainda vão se estender pois o Judiciário está questionando a forma precária como está sendo conduzido o processo. “Precisamos fazer as adequações, mas que elas respeitem os devidos processos legais e os princípios gerais do direito”.

O presidente do legislativo, Adriano De Martini, também usou a tribuna para defender que a reforma trabalhista não apresenta nenhuma característica de modernização e classifica como “palavras bonitas para camuflar o debate junto à sociedade”. Adrianinho relata que um abaixo-assinado está sendo organizado, como forma de luta contra a reforma. Essa ação é um projeto de lei popular para revogação da reforma trabalhista e da lei da terceirização. “Esperamos que surta efeito dessa iniciativa e que através da mobilização, que será contabilizada em poucos dias, do abaixo-assinado que está correndo em nível de Brasil, os nossos parlamentares possam colocar a mão na consciência e possam dar a tramitação necessária nesse projeto de lei de iniciativa popular no Congresso Nacional para revogação dessa reforma que não atende aos anseios da população”.