Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Na próxima semana a Defesa Civil de Santa Catarina iniciará o mapeamento de risco geológico e hidrológico nos municípios. O trabalho é uma parceria entre governo do Estado e Federal, por meio do Serviço Geológico do Brasil (CPRM)

A equipe do CPRM inicia a execução do mapeamento de risco pelo o Oeste sendo que iniciamos com a seguinte programação:

– 15/01/2018 Coronel Martins, Galvão, Jupiá São Bernardino e Novo Horizonte.

– 14/02/2018 Faxinal dos Guedes, Ouro Verde, Passos Maia, Ponte Serrada e Vargeão

– 14/02/2018 Abelardo Luz, Bom Jesus, Ipuaçu e São Domingos.

– 19/02/2018 Entre Rios, Lajeado Grande, Marema, Xaxim.

Xanxerê e São Lourenço do Oeste já possuem mapeamento da CPRM, e estarão na segunda etapa para atualização das cartas de suscetibilidade de risco a partir de abril.

Santa Catarina será o primeiro estado do Brasil a mapear, nos 295 municípios, todas as áreas de risco geológico e hidrológico, com foco no planejamento urbano, prevenção e proteção à população. O convênio de R$ 20,7 milhões foi assinado pelo governador Raimundo Colombo, pelo secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, e pelo diretor de Geologia e Recursos Minerais do Ministério de Minas e Energia, Jose Andriotti, no dia 08 de dezembro de 2017, em Florianópolis. O trabalho será desenvolvido pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

“É um momento importante. Acredito que todo este esforço de proteção vai se desdobrar para todo território brasileiro”, afirmou o diretor da Secretaria de Gestão de Águas e Preservação do Território do Ministério da Terra, Transportes, Infraestrutura e Turismo do Japão (MLTI), Junichi Kurihara.

Para o secretário da Defesa Civil, os atos firmados são a concretização de todo trabalho que vem sendo feito e traz resultados positivos. “O mapeamento é uma ferramenta indispensável para ocupação urbana, emissão de alerta e segurança à população. Juntamente com todas as ações que estão sendo feitas, isso dá uma nova visão no gerenciamento de riscos”, afirmou. Moratelli disse ainda que as equipes que vão trabalhar nos mapeamentos devem ser distribuídas em 20 regiões onde estão as Defesas Civis, com apoio dos parceiros municipais.