Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

A mobilização convocada pela Associação Brasileira dos Caminhoneiros, que começou nesta segunda-feira (21), também ganha força em Santa Catarina. Conforme a Polícia Rodoviária Federal, até o momento são nove trechos de rodovias catarinenses com trânsito lento por conta da manifestação. Os agentes relatam que apenas veículos de carga estão sendo bloqueados na rodovia, e o impacto para os demais carros é o congestionamento.

As manifestações começaram por volta das 6h na SC-437, próximo às Malhas Ferju e embaixo de um viaduto por onde passa o fluxo da BR-101. Os manifestantes colocaram fogo em pneus nos dois lados da rodovia, de forma que a fumaça chegava até a BR-101, e movimentavam-se para tentar aumentar o número de caminhões participantes do movimento.

Rodovias de quase todas as regiões de Santa Catarina têm paralisações. No Vale do Itajaí, próximo à região portuária, há manifestação na BR-470 e na BR-101. Outros três protestos na BR-101 ocorrem na região Sul. Na região Norte e Serra as paralisações são realizadas na BR-116, enquanto no Oeste há duas manifestações na BR-282. Apenas na Grande Florianópolis não foram registradas paralisações.

Em Campos Novos, caminhoneiros iniciam a mobilização nas proximidades do trevo da Copercampos, mas também sem bloqueio. Está previsto um buzinaço no centro da cidade e uma manifestação em frente à prefeitura. Líderes garantem que transporte de carga viva, ambulância e oxigênio não serão barrados. Eles não descartam bloqueio, agora à tarde em alguns pontos do município, como nos trevos da Bruno Industrial e Estrutural Zortéa.

A Polícia Militar de Campos Novos esteve no local e repassou orientações de como os motoristas devem realizar a manifestação no município. Em Joaçaba, na BR 282, os caminhoneiros estão pedindo adesão dos motoristas, mas a pista está liberada. As manifestações preparam greve geral e reclamam do aumento do preço do diesel.

Na última sexta-feira (18), a Petrobras elevou os preços do diesel em 0,80% e os da gasolina em 1,34% nas refinarias. Foi o 5º reajuste diário seguido. A escalada nos preços acontece em meio à disparada nos preços internacionais do petróleo. (Fonte: DC e Jornalismo Cultura FM)

Reunião discute alta dos preços

O presidente Michel Temer convocou para hoje (21), no Palácio do Planalto,  às 18h, uma reunião de emergência para discutir a alta dos preços dos combustíveis. Foram chamados para participar da conversa com o presidente os ministros Moreira Franco (Minas e Energia), Eduardo Guardia (Fazenda), Eliseu Padilha (Casa Civil), Esteves Colnago (Planejamento) e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Pela manhã, os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram a criação, na próxima quarta-feira (23), de uma comissão geral no Congresso que deverá acompanhar os desdobramentos da política de reajuste de preços de combustíveis no País.

Nesta manhã Guardia disse que o governo examina a redução de tributos incidentes sobre os combustíveis, mas não tem ainda nenhuma decisão sobre o assunto. Em teleconferência com a imprensa estrangeira, ele afirmou que medidas para reduzir as alterações constantes nos preços estão sendo discutidas, mas destacou que o governo não tem neste momento “flexibilidade fiscal”. (Agência Brasil)

Foto: Jornalismo Cultura FM