Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Xanxerê- A Secretaria Municipal de Políticas Ambientais, que atua juntamente com a Secretaria Municipal de Assistência Social, Departamento Municipal de Trânsito (Demut), Polícia Militar e Senai, reuniram na manhã da quarta-feira (18), os recicladores cadastrados no Programa Veículo de Tração Animal (VTA). Foi repassado que haverá capacitações para conscientização e orientação, além da seleção de dois recicladores que deixarão de utilizar os animais para o transporte, passando a usar a bicicleta, como projeto piloto.

A lei que regulamenta o Programa de redução gradativa da circulação de veículos de tração animal no perímetro urbano de Xanxerê, pelo prazo de dois anos, foi sancionada em 2017. Após cadastrar os recicladores através de chamamento, a administração municipal oferece cursos, sem custos. O Senai apresentou a proposta de iniciar as aulas em 4 de setembro, até 20 de novembro, com encontros semanais (toda terça-feira, das 14h às 17h, na unidade de Xanxerê).

O coordenador regional de Educação do Senai, Willi Robert Sobotka, explica que em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social criaram o projeto Eu amo Xanxerê. Eu reciclo, que consiste em conscientizar e capacitar os recicladores de lixo em Xanxerê,  promovendo uma forma sustentável de trabalho através de orientações para o desenvolvimento de ações de cooperativismo e associativismo.

“O Senai vai oferecer a palestra de sensibilização com o tema reciclagem uma ação Sustentável e, durante os encontros foi dividido em módulos, onde no primeiro será sobre Relações Humanas, o segundo sobre Gestão de processos e reciclagem e, o terceiro, sobre Direitos, deveres e possibilidades, com profissionais do nosso quadro de professores”, explica.

Projeto piloto com Rotary Club Xanxerê

Dois recicladores foram selecionados para participarem do projeto piloto idealizado pelo Rotary Club Xanxerê, que vão oferecer duas bicicletas adaptadas para o recolhimento dos materiais recicláveis. O reciclador Sadi da Silva atua há cerca de cinco anos no ramo. Ele tem 49 anos e por conta de um problema no braço direito, causado por acidente, tem dificuldade de transportar os materiais e colocar dentro da carroça. Além disso, conta que seu animal precisa de descanso e acredita que o uso da bicicleta será melhor.

“A reciclagem é minha renda. Moro no Bela Vista com minha esposa e minha mãe e precisamos trabalhar. Eu acredito que para mim a bicicleta vai ser bem boa e por isso me coloquei como voluntário no projeto”, conta.

O Rotary finaliza a confecção das bicicletas, para em seguida programar o dia da entrega aos recicladores voluntários.