CDL Dia das Crianças 2019

Abelardo Luz- O Grupo DanSer de Abelardo Luz, formado por bailarinas do Projeto de Dança do Centro Municipal de Cultura “Marlene Agheta Piccinin”, participou no último fim de semana do Prêmio Desterro – 9º Festival Internacional de Dança de Florianópolis. O evento foi realizado de 28 de agosto a 2 de setembro, no Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC), reunindo centenas de bailarinos do Brasil e do exterior.

Abelardo Luz participou do festival pelo segundo ano consecutivo com a apresentação da coreografia no estilo Jazz, intitulada “Zahir Batin”, que segundo o coreógrafo do grupo, Claudemir Rodrigues, representa a passagem do corpo para a alma conforme o conceito islâmico.

“Estamos extremamente satisfeitos com o nosso trabalho. Toda a parte técnica e artística foi muito elogiada. Os jurados adoraram a ideia do tema que é muito relevante e bem realístico que é a Guerra na Síria. As meninas saíram muito felizes do palco. Esse era nosso objetivo, não trazer apenas o título, mas transformar a vida delas, fazendo com que elas se sentissem capazes de realizar coisas que muitas pessoas dizem que elas não são capazes. Agradecemos o apoio da atual administração que tem apoiado muito e estamos ansiosos para continuar o nosso trabalho levando o nome da nossa cidade para toda a região e o país”, destacou o coreógrafo Claudemir Rodrigues.

A diretora responsável pelo Departamento Municipal de Cultura, Iracema Grespam, acompanhou o grupo na viagem, junto com outras duas professoras e algumas mães. “Como diretora de Cultura vamos buscar fortalecer este grupo, dar muito apoio e incentivo. Mas não somente para com este grupo de jazz, mas com outros grupos também, como por exemplo os nossos CTGs, com as danças contemporâneas e populares. Nós temos potencial para isso e precisamos dar apoio e pessoas competentes para ajudar”, declarou a diretora.

Segundo Iracema, para estar representando Abelardo Luz no evento, o grupo teve todo o suporte necessário do município, desde o transporte até a hospedagem. “As meninas, o professor e as mães relataram que é o primeiro ano que alguém da prefeitura acompanhou o grupo, pois nos outros anos viajaram sozinhos. Como sou professora, assim como a secretária Eliane Cantele, conseguimos alojamento na pousada da Associação dos Professores, no Centro de Florianópolis. Então isso ficou muito econômico e não precisamos ir para o hotel. Gastamos o mínimo possível e ficamos feliz porque todos gostaram”, ressaltou Iracema.

Alexandra Cristiano, mãe da bailarina Isabela Cristiano Vargas, esteve acompanhando o grupo junto com outras mães. Ela falou sobre a emoção de ver sua filha se apresentar no festival de nível internacional. “Levamos elas para realizar mais um sonho. Estamos muito felizes porque tivemos muito incentivo e o grupo está começando a ser reconhecido. É muita emoção vê-las num palco tão prestigiado, se apresentando num festival tão grande. Não tem como descrever. Só emoção mesmo”, relatou.

A bailarina Eloisa Domanski, que viajou acompanhada da mãe, descreveu a experiência de participar pela segunda vez do festival. “É uma experiência muito legal para nós que fazemos aula numa cidade tão pequena e não temos a oportunidade de participar de festivais tão grandes assim. O importante é sempre ir lá fazer o melhor e se divertir. Foi uma sensação maravilhosa, muito especial”, disse.