Bolsonaro desembarca no Rio e vai direto para casa

0
693
Cadastro Foca na Notícia

Candidato do PSL saiu sem falar com jornalistas e seguiu para o Rio, onde mora; segundo aliado, ele pretende participar do debate da Globo na quinta-feira

Rio de Janeiro – O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, chegou hoje (29) às 16h40 ao Aeroporto Santos Dumont, num voo de carreira, procedente de São Paulo, depois ficar internado por 22 dias no Hospital Albert Einstein. Ele seguiu para sua casa, na Barra da Tijuca, onde vai continuar o tratamento.

O presidenciável estava internado desde 7 de setembro no hospital após ter sido vítima, no dia anterior, de uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG). O autor do ataque, Adélio Bispo de Oliveira, foi preso em flagrante e disse que cometeu o crime por divergir das ideias políticas de Bolsonaro.

Segundo o candidato do PSL ao Senado por São Paulo, Major Olímpio, que visitou o presidenciável logo antes da alta, disse que Bolsonaro deve respeitar as recomendações médicas, mas afirmou “não duvidar” de que ele fará campanha nas ruas já nos próximos dias.

Afirmou, ainda, que o desejo de Bolsonaro é de participar do último debate antes do primeiro turno, que ocorre na quinta-feira, organizado pela TVGlobo. Para ele, a campanha não foi prejudicada com o período de internação porque, segundo ele, os comitês continuaram trabalhando em todos os estados.

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, chegou hoje (29) às 16h40 ao Aeroporto Santos Dumont, num voo de carreira, procedente de São Paulo, depois ficar internado por 22 dias no Hospital Albert Einstein. O candidato foi vítima de uma facada no abdômen em Juiz de Fora, no dia 6 deste mês, quando participava de um ato político. Ele seguiu para sua casa, na Barra da Tijuca, onde vai continuar o tratamento.

Da cabeceira do Aeroporto Santos Dumont,  Bolsonaro foi levado de carro para a sede do Departamento de Controle do Tráfego Aéreo (Decea). Depois de 15 minutos, saiu em carro fechado. O candidato não parou para falar com os correligionários, que se aglomeraram no portão principal da Base Aérea, com faixas e cartazes.

Carros da Polícia Federal, com agentes batedores, e do Batalhão de Choque da Polícia Militar fizeram parte do comboio que deu suporte à comitiva. Pelo menos nos próximos sete dias, Bolsonaro não poderá participar de atos políticos, seguindo recomendação da equipe médica.