Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Xanxerê – É muito comum entre as escolas de idiomas promoverem festas para celebrar as datas tradicionais nos países de origem das línguas que ensinam, como o Halloween e o Valentine Day.

Este ano, a KNN Idiomas inovou, realizando na última quinta-feira (11) um dia inteiro de programação para comemorar o Dia das Crianças, uma festa tradicional do Brasil.

Emili Francheschi Ogliari, coordenadora pedagógica, explicou que a festa foi organizada pelos professores e funcionários para oferecer um dia diferente para os pequenos alunos. “É uma oportunidade de oferecer um dia de entretenimento, trazendo as crianças para um ambiente descontraído, divertido, para comemorar o dia deles”.

De acordo com Emili, os alunos que estudam no período da manhã participaram das atividades realizadas à tarde e no período da manhã as atividades foram realizadas para os alunos da tarde, assim não houve prejuízo para as aulas. O convite foi estendido para os amigos dos alunos, que não estudam na escola, para que eles se sentissem ainda mais à vontade.

Foram cerca de 40 crianças, de quatro a 14 anos de idade participando de uma gincana, campeonato de dança com vídeo game, dança das cadeiras, corrida do ovo na colher, abo de guerra, quis, pipoca, doces, cachorro quente e refrigerante.

Todas as atividades utilizaram o idioma, como o “guess where” e o “guess who”, em que as crianças tinham que identificar os ambientes da escola a partir de fotos de partes do local e reconhecer os professores e funcionários através de fotos antigas. “Desta maneira, e forma divertida, reforçamos o aprendizado do idioma que ensinamos, afinal, este é o nosso objetivo principal”, complementa Emili.

As crianças vencedoras da gincana da manhã ganharam uma ida à sorveteria e à tarde o prêmio foi pizza para os vencedores. A premiação foi escolhida pelos próprios alunos.

Para facilitar uma maior participação, a van da escola transportou os alunos e convidados. “Nossa van buscou e levou as crianças. Acertamos com os pais que pegaríamos nos mesmos locais onde elas pegam a van para vir à aula”, destacou Emili.