Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Abelardo Luz – O prefeito Wilamir Cavassini recebeu uma comissão de servidores municipais e dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Chapecó e Região (SITESPM) para conversar sobre as reivindicações da categoria que deflagrou greve na manhã desta segunda-feira (19) em Abelardo Luz.

A reunião aconteceu no gabinete do prefeito e contou com a participação do vice-prefeito Jorge Piccinin. A categoria pede a incorporação de alguns benefícios no salário base e também a escolha de vagas para outros setores da administração pública municipal.

Cavassini ouviu atentamente os servidores e ressaltou que desde que assumiu sempre buscou o entendimento com a categoria no sentido de melhorar as condições dos servidores e honrando com os compromissos, mantendo em dia a folha de pagamento e outros benefícios. Ele também enfatizou que a atual gestão vem trabalhando para recuperar a credibilidade e as contas da prefeitura municipal, sempre respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Temos dívidas do passado que a população desconhece os detalhes, mas é uma realidade, onde deixou de se pagar impostos e que agora está refletindo nesta e vai refletir nas próximas administrações. Na nossa administração o que se compra tem que se pagar. Temos um planejamento e isso vamos manter até o final. Com o servidor não é diferente, vamos continuar pagando a folha salarial dos servidores em dia, inclusive já temos o 13º salário guardado e só não pagamos ainda a pedido do próprio sindicato”, frisou Cavassini.

Reivindicações

Cavassini disse que entende e considera justa a reivindicação dos servidores sobre as incorporações, porém neste momento afirmou que não há amparo financeiro para atender o pedido, uma vez que o índice de gastos com pessoal já está acima dos 50%. “A folha está acima dos 50%. Já fomos alertados pelo Tribunal de Contas para que tomássemos providências. Para os próximos anos se a receita não aumentar, com certeza, a situação vai se agravar. Por isso, que temos que segurar todo o possível de economia para que não se agrave os percentuais futuros e comprometer a nossa administração e dos próximos administradores”, declarou o prefeito.

Ainda de acordo com o prefeito, a incorporação seria possível caso a situação financeira do município fosse melhor e se tivesse uma projeção concreta de aumento maior para o futuro. “O cenário estadual e nacional não mostra isso. Esperamos que os próximos governos proporcionem melhorias para que a economia cresça de um modo geral. A economia do estado e do país melhorando as receitas também aumentarão, mas hoje não temos perceptiva de que vai acontecer. Se hoje a folha de pagamento está passando de 50%, com os aumentos que vem no próximo anos, isso vai se agravar. Por isso, medidas terão que ser tomadas e precisamos ter cautela em qualquer decisão que tomarmos”, reforçou.

Escolha de vagas

Sobre a proposta de escolha de vagas nos demais setores, como é feita na área da Educação, Cavassini disse que essa questão voltará a ser discutida futuramente. “Não se descarta totalmente, mas por enquanto não será possível. Ficamos de conversar novamente em março do próximo ano junto com a reforma administrativa que estamos iniciando para que possamos mostrar o que possível e impossível de ser feito”, declarou.

Reforma administrativa

De acordo com o prefeito, uma das medidas que está sendo tomada para melhorar a eficiência na gestão é a reforma administrativa que está em fase de estudo. “Para isso, uma empresa especializada foi contratada que vai nos apresentar um prognóstico de como devemos agir, onde devemos cortar, onde devemos melhorar e em que categorias deveremos incorporar, dentro do limite, no salário base”, comentou.

Segundo Cavassini, com esse estudo ser vai possível fazer alguns cortes para poder fazer os reajustes que se almeja, principalmente para as categorias com salário mais baixo. “Isso tudo vai ser estudado para vermos o impacto que terá na folha e até quanto nós podemos melhorar a faixa salarial de categorias que estão muito defasadas. Essa vai ser uma das metas que vai ser corrigida sempre observando os limites financeiros do município”, afirmou.

O prefeito ressaltou que a Administração Municipal aguarda a conclusão do levantamento da reforma administrativa para apresentar uma proposta concreta aos servidores, o que deve ocorrer somente no próximo ano. “Sabemos das dificuldades de algumas categorias e entendemos que são justas as reivindicações salariais. Vamos buscar uma solução responsável, dentro dos limites legais e financeiros que o cenário econômico atual do município comportar”, finalizou Cavassini.