Super Caminhão da Sorte Dezembro

Ao todo serão ministrados seis cursos com práticas como Florais, Reiki, meditação, reflexologia, cones hindus e aromaterapia.

Xanxerê– Profissionais da saúde de Ponte Serrada, Xaxim, São Domingos, Passos Maia, Xanxerê, Ipuaçu, Abelardo Luz e Vargeão, participam nesta segunda-feira (11) na Associação de Municípios do Alto Irani (Amai) do curso de formação no âmbito das Práticas Integrativas e Complementares (PICs), hoje o tratamento abordado é sobre os Florais.

As Práticas Integrativas e Complementares (PICS) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, voltados para prevenir diversas doenças como depressão e hipertensão. Em alguns casos, também podem ser usadas como tratamentos paliativos em algumas doenças crônicas.

Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, 29 procedimentos de Práticas Integrativas e Complementares (PICS) à população. Os atendimentos começam na Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS.

Evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Além disso, há crescente número de profissionais capacitados e habilitados e maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas.

No Brasil, o debate sobre as práticas integrativas e complementares começou a despontar no final da década de 70, após a declaração de Alma Ata e validada, principalmente, em meados dos anos 80 com a 8ª Conferência Nacional de Saúde, um espaço legítimo de visibilidade das demandas e necessidades da população por uma nova cultura de saúde que questionasse o ainda latente modelo hegemônico de ofertar cuidado, que excluía outras formas de produzir e legitimar saberes e práticas.

Com esse cenário, tanto sociedade civil quanto governo federal iniciaram um movimento, até então tímido, por busca e oferta de outros jeitos de praticar o cuidado e o autocuidado, considerando o bem-estar físico, mental e social, como fatores determinantes e condicionantes da saúde.

Em 2006, foi criada a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), na época eram ofertados apenas cinco procedimentos. Após 10 anos, em 2017, foram incorporadas 14 atividades, chegando as 19 práticas disponíveis atualmente à população, em 2018, mais 10 somaram-se a lista e hoje o SUS dispõe de 29 Práticas Integrativas e Complementares oferecidas de forma integral e gratuita.

A formação é exclusiva para os profissionais da saúde dos municípios que integram a região da Amai e é ministrada pela Master NLP Practitioner, Luciane Lopes. Uma nova turma está programada para amanhã no período da tarde. Ao todo serão ministrados seis cursos com práticas como Florais, Reiki, meditação, reflexologia, cones hindus e aromaterapia. (com informações Ministério da Saúde)