Livro “A arte de ensinar o seu cachorro” oferece dicas de sucesso na relação entre cuidador e cão

0
99

Xanxerê– O livro “A arte de ensinar o seu cachorro”, do comandante do Corpo de Bombeiros de Xanxerê, tenente coronel Walter Parizotto, foi lançado na noite de quarta-feira (27), na livraria Livros & Livros. Segundo o autor da obra, a paixão pelos cães vem desde a infância e, na sua vida profissional, foram eles que lhe deram notoriedade. “A primeira lembrança que eu tenho da minha infância tem um cachorro envolvido, e eu sempre tive e sempre convivi com eles. Com o passar do tempo tive o privilégio de poder trabalhar com cães”, relata.

Desde 2001, quando Parizotto iniciou o trabalho com os cães, começou a perceber a efetividade dos animais em diversas atividades. Como exemplo, cita principalmente o evento de Brumadinho (MG), em 2008. “Os cães vieram a esse mundo somente para fazer o bem e para acrescentar a nossa humanidade”, considera.

A inclusão dos cães no trabalho realizado em Xanxerê surgiu a partir de uma ação do Corpo de Bombeiros, na busca de um adolescente especial, que ficou perdido por três dias, em Xavantina, e envolveu cerca de 50% da equipe, na época (2001). “Nós éramos um quartel muito pequeno, com muitas dificuldades e uma área gigante para atender. Na época do ocorrido também aconteceu um incêndio, então eu tinha que buscar uma solução, porque cada vez que tivéssemos uma ocorrência eu não poderia desguarnecer o quartel, e aí veio a possibilidade de usar o cão como ferramenta para essas ocorrências”, explica.

O Havaí, cão que inclusive ilustra a capa do livro lançado por Parizotto, e que havia sido treinado para atuar com entorpecentes na Polícia Militar, mas não estava sendo aproveitado, foi o primeiro animal da equipe de Xanxerê. “Nós começamos a buscar subsídios para transformá-lo numa ferramenta de trabalho para ações de buscas em desastres”, lembra.

Parizotto ressalta que uma das primeiras atuações do cão Havaí foi a queda dos Correios, em 2004, no município de Içara. “Nós já estávamos treinando esse cão há vários anos sem nenhuma aplicação prática, sem que as pessoas se convencessem da sua importância técnica, e então colocamos ele num carro e fomos para Içara e ele foi extremamente efetivo, resolvendo a ocorrência. Foi nessa ocasião que o Estado começou a investir, mudando toda a história. Eles olharam para aquele cão e não viram somente um cão de Xanxerê. Olharam e viram um irradiador dessa atividade para todo o Estado e nos deram dinheiro para construir o CRDU (Centro De Referência em Desastres Urbanos)”, relata.

Com o passar do tempo, desde 2009, o Corpo de Bombeiros de Xanxerê oferece o curso de formação e, com isso, surgiu a necessidade de desenvolver um material de apoio. “As pessoas sempre pedem material de apoio e artigos, ou ainda que o conteúdo das aulas seja enviado, então, em 2012 eu fiz uma especialização em Florianópolis, em Administração Pública, e eu convenci o meu orientador a escrever sobre cães. Produzi o primeiro artigo sobre cães e esse material teve uma demanda muito grande”.

A partir daí, Parizotto passou a perceber que a atividade era extremamente carente de literaturas, então, começou a juntar os artigos, que inicialmente eram muito técnicos, compilando e melhorando. Com isso, há três anos resolveu transformar os artigos científicos para uma linguagem coloquial.

De acordo com Parizotto, o livro conta um pouco da história dele com os animais, de como iniciou o trabalho em Xanxerê, mas principalmente aborda o tema comunicação, pois considera que as pessoas, mesmo amando seus animais, têm dificuldades na relação com eles. “Como eu posso falar um pouco de ‘cachorrês’ com aquele serzinho que está destruindo o meu sofá? Como eu posso dizer para ele: olha, eu quero te amar, te acolher, mas não quero que destrua a minha casa, então, a ideia é falar sobre isso, e no final eu compartilho 16 dicas, que foram as responsáveis pelo nosso sucesso”, conclui.