Cadastro Foca na Notícia

Xanxerê – Na manhã de domingo (29) prefeitos das maiores cidades de SC e dirigentes das Associações de Municípios estiveram reunidos com o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, para discutir as ações de prevenção e combate ao Coronavírus. Na reunião o governador anunciou a prorrogação por mais 7 dias de isolamento social em SC.

O vice-presidente da Associação dos Municípios do Alto Irani-Amai e prefeito de Abelardo Luz, Wilamir Domingos Cavassini, que participou da reunião, informou que o presidente da Associação e prefeito de Ouro Verde, Amélio Remor Junior, e os demais prefeitos da Amai pretendem apresentar ao governador algumas reivindicações para um tratamento diferenciado aos pequenos municípios.

Cavassini informou que está sendo programada uma reunião para segunda-feira (30) para discutir a reabertura dos pequenos comércios. “Está sendo programada uma reunião para o segunda-feira com os prefeitos, Ministério Público, Polícia Militar, para discutirmos a reabertura dos pequenos comércios e levar uma proposta ao governador”.

O prefeito afirma que as regiões de pequenos municípios podem voltar trabalhar com ajustes. “Entendemos que a nossa região, assim como outras regiões semelhantes à nossa, com pequenos municípios, com pequenos comércios, que seria possível a sua reabertura com algumas limitações e alguns ajustes”.

O prefeito afirma que o Governo do Estado não pode tomar decisões levando em conta somente os grandes municípios. “Temos que nos posicionar como região, pois nossa região merece ser ouvida. Precisamos que o governador entenda que nossos pequenos comércios podem trabalhar com um atendimento controlado e assim evitar o caos financeiro que está sendo previsto com essa pandemia”.

Para o prefeito, se não for revista a posição as consequências poderão ser muito graves. “Se continuar dessa maneira teremos grandes dificuldades no poder público, mas principalmente os comerciantes que terão dificuldades com seus estabelecimentos comerciais, o sustento de suas famílias e manter os empregos que hoje são oferecidos”.

A preocupação do Governo do Estado é com a propagação da doença e a falta de recursos para manter a saúde. “A preocupação do governador é manter a doença nos níveis atuais e se alastrar o menos possível. Os prefeitos das pequenas cidades defendem a abertura do comércio preocupados com a economia, mas o governo justificou com a falta de EPIS, de leitos e de respiradores e a dificuldades de adquirir esses materiais para a população e principalmente das pessoas envolvidas diretamente no combate a doença”.

Na sua justificativa, o governador Carlos Moisés disse que nem os produtos adquiridos pelo Estado, nem os EPIs prometidos pelo Governo Federal chegaram. “Os recursos da portaria 480, em torno de R$ 20 Milhões, devem estar chegando na conta dos municípios até o dia 31, e devem auxiliar na aquisição de equipamentos para amenizar a situação da saúde nos municípios”.

Outros assuntos que foram tratados na reunião de domingo:

  • O MP emitiu nota apoiando as medidas do Governo do Estado;
  • O governador informou que o Ministério da Saúde pode pedir a prorrogação por 30, 60 ou até 90 dias;
  • Foi cogitada a possibilidade de anular o ano letivo nas escolas, mas ainda será discutido em outra reunião;
  • A Polícia Militar está autorizada a fechar os estabelecimentos que não cumprirem as determinações do decreto.

Ouça os áudios do prefeito Cavassini.