Educadores da região AMAI debatem ações para minimizar perdas no ensino

0
188
Ferramentas de Gestão Empresarial no Excel

Xanxerê – Colegiado de educação da AMAI está em constante debate para alinhar estratégias e ações de ensino frente ao isolamento e suspensão das aulas na rede municipal que teve as aulas suspensas desde o dia 19 de março, seguindo decreto do Governo do Estado.

Como os municípios tem autonomia para gerir seus Sistema Municipais de Ensino, os gestores estão estudando formas de melhor atender aos alunos, visto que segundo o Colegiado de Educação, a realidade da região não é igual ao da capital e grandes centros.

Segundo a coordenadora de formação da AMAI, Fernanda Bertotto, se forem mantidos os 30 dias de suspensão das aulas, os municípios farão a reposição presencial adequando ao calendário de horas letivas, que deve fechar em 800 horas aulas. A proposta é estudada através de comitês e deverá passar por aprovação no Conselho Municipal de Educação.

Uma alternativa de alguns municípios é o desenvolvimento de atividades extras. A secretaria de educação de São Domingos montou grupo de whatsapp em que diariamente ás 19 horas, são enviadas tarefas para os alunos das turmas da Escola Nair Teixeira Morschheiser do 1º ao 5º ano.

Em Abelardo Luz a Secretaria Municipal de Educação criou uma página no Facebook onde postam as atividades para cada nível de ensino.

Em Marema os estudantes do Núcleo Escolar Municipal e do Ceim (Centro de Educação Infantil Municipal) estão recebendo as atividades escolares em casa. O material será recolhido para conferência no dia 22, caso as aulas sejam retomadas.

Para auxiliar, a AMAI, por meio do Colegiado, sugeriu que o comitê criado reestruture o calendário e as proposta para a compensação de horas por meio das atividades não presenciais, e encaminhem para aprovação no Conselho Municipal.
Rede Estadual de Ensino

A Secretaria de Estado da Educação (SED) emitiu na última quarta-feira (8) um documento com Orientações Técnicas e Administrativas às Coordenadorias Regionais de Educação para a Implementação do Regime Especial de Atividades Escolares Não Presenciais.

Segundo a SED, o documento atende à Resolução CEE/SC nº 009/2020. O anuncio da modalidade não presencial de ensino, foi divulgada durante coletiva do Governo do Estado e prevê a utilização de ações coordenadas com diferentes canais de comunicação, ferramentas pedagógicas e procedimentos para alcançar, com a maior abrangência possível, o universo dos 540 mil alunos de escolas estaduais.

Assim, a partir do dia 06/04/2020, todas as atividades escolares não presenciais serão contabilizadas como carga horária letiva, não havendo a necessidade de reposição de aulas quando normalizado o processo educacional, desde que os estabelecimentos de ensino da Educação Básica cumpram o mínimo de 800 horas ao longo do ano, conforme Medida Provisória nº 934, de 01/04/2020.

Para os alunos que não possuem conectividade à internet, a escola deverá providenciar a elaboração de materiais impressos que poderão ser distribuídos aos alunos por meio dos Correios, com quem a Secretaria de Estado da Educação estabeleceu parceria.

Porém, segundo a Secretaria de Estado, para funcionamento correto os Gestores Escolares precisarão encontrar, junto com as equipes das Coordenadorias Regionais de Educação, soluções apropriadas, visando ao atendimento a esse público. Para isso, uma logística de elaboração, reprodução, distribuição e coleta dos materiais impressos precisará ser organizada pelas unidades escolares.